sábado, 29 de agosto de 2015

O que vem por aí de Sarah Maclean

 Confesso que li os primeiro livros dela em espanhol e isto me cativou profundamente. Sua série O amor em números é cheia de romantismos e divertida. É uma autora surpreendente mesmo e por isso resolvi postar essa entrevista que ela deu para Pamela Clare, no qual fala um pouco deste livro e visto que aqui a Editora Guttenber irá publicar um série sua, ou seja a mais recente dela, o clube dos canalhas. Eis aqui um pouco desta excelente escritora.

O que acontece com uma mulher jovem e imaginativa de uma pequena cidade Rhode Island que ama a história e leitura? Ela coloca sua imaginação para funcionar e se torna uma autora best-seller do USA Today e do New York Times. Ou ela faz se ela é Sarah MacLean. MacLean encontrou aventura em livros, especialmente clássicos romances históricos, Jane Austen e agora é conhecida por suas encantadoras Regências. MacLean reservou algum tempo para nós na semana passada para falar sobre seu amor pelo romance histórico, a insanidade inerente da ficção escrita, e seu mais recente lançamento, One Good Earl Deserves a Lover (Um bom conde merece uma amante*).
Pamela: Bem-vindo ao HEA(HAPPYEVERAFTER)¨, Sarah! Parabéns pela novo lançamento!
Sarah: Obrigado, muito obrigado por receber-me, Pamela... Estou muito emocionada por estar com você esta semana!
Pamela: Você cresceu em Rhode Island obcecada com o romance histórico. Qual foi o primeiro romance histórico que você leu? Qual deles você inspirou  mais a pegar sua própria caneta?

Sarah: Como muitos outras, eu vim para o romance durante a idade de ouro deste - Judith McNaught, Julie Garwood, Johanna Lindsey e Jude Deveraux estavam no auge de seu domínio histórico. Sem essas mulheres, eu não seria um romancista de novela. Muitas vezes eu me encontro relendo esses livros quando eu estou imersa em um livro, tentando encontrar o momento exato, a página exata, a volta exata da frase que alcança meus heróis e heroínas e do próprio gênero. Almost Heaven**/Quase céu, The Black Lyon (meu primeiro romance), The Gift/ O presente, Gentle Rogue/Canalha Gentil. Essas histórias que me fez amar o romance... E eu dou um duro para manter sua magia viva em minha própria escrita.
Pamela: Muitos autores dizem que seus personagens "conversam" com eles. Mas você diz que os seus não fazem. Como você começa a conhecê-los? Como você constrói personagens?
Sarah: Na maior parte, os meus personagens não falam comigo. Eu gosto de tratá-los como uma espécie de divindade benevolente. E, na maioria das vezes, meus personagens seguem junto. Eu escrevo intensos esboços de personagens e, conversas longas- como um jogo entre mim e eles, mas eles ficam fora do própria livro escrita. Não foi assim com One Good Earl Deserves a Lover, no entanto. Pippa tinha um sentido muito real de como a sua história seria contada. Foi a primeira vez que sua forte personagem caminhou para minha vida, e uma vez que ela anunciou que gostaria de um livro, a coisa toda esteve um punhado em suas mãos. Esta foi uma experiência extremamente assustadora para mim, em parte porque isto era tão diferente do que todos os meus outros livros. Eu não gosto de estar tão totalmente fora de controle!
Pamela: Você descreveu seu processo de escrita como variando em algum grau de livro para livro, dizendo que você gasta uma certa quantidade de tempo que é "insano" antes de bater “na zona” Tenho certeza um monte de escritores se identificam com isso. Que insanidade é esta? O que lhe ajuda a encontrar a zona?
Sarah: Algum escritor bem mais perspicaz do que eu, certa vez disse que você nunca aprende a escrever um livro - você só aprender a escrever o livro que você está escrevendo. Como um excesso de controle (ver acima), o que torna o processo de escrita bastante dolorosa para mim - porque eu realmente quero ser bom no que faço. Eu quero acordar uma manhã e saber como escrever uma página ou dez páginas ou a duzentas e cinquenta páginas. Mas eu nunca pareço saber como fazê-lo. Cada livro é diferente e tem uma estrutura, estilo, processo diferente, etc. E reaprender a escrever é de onde a loucura vem. Porque eu tenho certeza que eu sabia como fazer isso ontem e de alguma forma, hoje, é tudo se foi da minha cabeça.
Quanto à zona, eu sempre encontro a zona imediatamente após ter certeza de que nunca vou encontrar a zona novamente, porque isto me deixou por outro escritor melhor. Isto geralmente vem de dois meses antes do livro é esperado, depois de muito choro e puxar de cabelos e ameaçar tornar-se uma alcoólatra - porque isto funcionou para Hemingway, depois de tudo.
Pamela: "Você nunca aprende a escrever um livro - você só aprender a escrever o livro que você está escrevendo." Eu adoro isso! Eu acho que a maioria dos escritores pode ter empatia com a fase do choro e do cabelo puxado ao escrever um livro. Isto faz sentir um pouco como uma loucura, não é?
Seu mais recente lançamento, One Good Earl Deserves a Lover, era suposto vir após a história do Temple. Como é que este romance cutucour o seu caminho até o topo?
Sarah: Lembre-se como eu lhe disse que Pippa forçou seu caminho? Ela não foi embora até que  teve sua história - e a história de Temple é uma que conheço desde o momento em que concebi a série, por isso ele teve que tomar um fôlego enquanto eu dei a Cross seu amor. Agora, é difícil imaginar qualquer outra ordem, quando as histórias de Temple e Chase (meus restantes dois canalhas) se entrelaçam de forma inesperada. Suponho que tudo acontece por uma razão!
Pamela: Vamos falar sobre Lady Philippa Marbury, ou Pippa, por um momento. É verdade que você nunca a imaginou como uma heroína? Como ela mudou sua mente?
Sarah: Ela não era para ser uma heroína, isso é verdade. Ela era suposta ser a irmã mais nova da heroína de A Rogue By Any Other Name/um trapaceiro de algum outro nome, e ela deveria ir tranquilamente para dentro da névoa, casada com um decente (se um pouco maçante) homem. Mas ela ficou interessante - ela era inteligente e franca, e havia todos os tipos de coisas que eu sabia sobre ela que eu não sei sobre a maioria dos meus personagens secundários. Foi quando eu soube que eu estava em apuros.
E então, quando eu foi criado  Um Rogue, e eu sentei escrever o epílogo, Pippa estava lá. Na página. Com Cross. E isto era cena tão boa para deixar de fora do livro. Então... Uma heroína nasceu.
Pamela: O que você pode nos dizer sobre Pippa e  a história de Cross e como ele se encaixa com esta série?
Sarah: as séries The Rules of Scoundrels/ As Regras dos canalhas conta a história de quatro aristocratas arruinados - Bourne, Cross, Temple e Chase - cada um deles exilados da sociedade seja por acaso ou por escolha, e agora estavam na realeza no submundo de Londres como proprietários de um cassino escandaloso, o exclusivo: The Fallen Angel/Anjos caídos.
 One Good Earl Deserves a Lover é a chance de Cross no amor - Cross, o alto, encantador, financista ruivo do clube. Ele é um gênio em matemática e um homem de letras, com um passado obscuro que fechou o resto do mundo para ele. Ele está despreparado para Lady Philippa Marbury, loura, que óculos e é totalmente bizarra, que chega a sua porta pedindo aulas nos mais escandalosos aspectos da vida. Mas Pippa tem uma maneira de conseguir o que ela quer... E Cross está condenado desde o início.
Toda a série é sobre garotos maus e as mulheres que os salvam... E quando me sentei para mapear cada livro, eu sabia que essas mulheres teria que ser incrivelmente fortes para trazer estes homens de volta à luz - e estas heroínas tendem a roubar a apresentação!
Pamela: Que série maravilhosa! Em que você está trabalhando agora? E quando os leitores vai conseguir a história do Temple?
Sarah: Eu sou imersa no livro de Temple, No Good Duke Goes Unpunished/ Nenhum bom duque será punido, que é o terceiro da série e deve ser lançado em outono. Temple é o oposto do tranquilo, perfeito, cerebral Cross –o físico completamente - um pugilista de nariz quebrado, que, além de ser enorme, brutalmente intenso e perversamente sexual,  acreditam que seja amplamente um assassino. Ele é diferente de qualquer herói que eu já escrevi, e eu estou gostando muito de escrever este livro!
Pamela: Ele certamente soa como um punhado! Obrigado por tomar o tempo para falar com a gente aqui no HEA! Feliz escrita!
Sarah: Muito Obrigada, Pamela! Foi ótimo estar com você!

Para saber mais sobre Sarah MacLean e seus livros, visite macleanspace.com.
Pamela Clare é uma jornalista premiada nacionalmente e autora best-seller de romance histórico e suspense romântico contemporâneo. Ela adora café, as montanhas do Colorado, e seus dois filhos crescidos. Seu site é PamelaClare.com.

Por Pamela Clare 4 de Fevereiro, 2013
Esta é uma adaptação minha
* Alguns títulos adaptei, portanto não é o mesmo que a editora aqui colocou.
Seu primeiro romance publicado no Brasil

Mary Balogh: Someone to Hold (Camille e Joel) Spoiler

Someone to Hold  (Alguém para Abraçar*) -  Mary Balogh My rating: 4 /5  Agora nos deparamos com história de Camille, a mais v...