terça-feira, 21 de julho de 2015

3,2,1 a comida citadas em alguns romance que li

Frequentemente vemos cenas se desenrolarem a mesa no café da manhã ou em jantares festivos nos históricos. Na Inglaterra na idade média o café da manhã era considerado a principal refeição do dia. E este era abundante e variado.  Sabe-se que a quantidade, qualidade e tipo de alimento consumido pela realeza e nobreza diferia consideravelmente a dieta das classes mais baixas. O número de pratos e variedade de alimentos consumidos pelas classes altas incluíam ingredientes que eram muito caros para a maioria das pessoas inglesas. A nobreza tinha adquirido um gosto por alimentos doces e picantes também e eles tinham a vantagem de poder pagar as especiarias caras e o açúcar necessário para criar estas receitas exóticas. Tanto a classe alta como classes mais baixas geralmente faziam três refeições por dia, mas os plebeus, obviamente, muito menos elaborado do que as classes mais altas.
Menus para os ricos eram variados, mas apenas pequenas porções eram consumidas. Uma mudança na cultura local surgiu durante a Idade Média, com o movimento das Cruzadas que trouxe novos interesses por objetos bonitos e pelas maneiras elegantes. Esta mudança estendeu-se também para a preparação de alimentos e em sua apresentação resultando em belos arranjos de comida com suas cores e  seus aromas exóticos.
As refeições diárias para as classes mais altas era composta de uma enorme variedade de diferentes tipos de alimentos. Legumes eram limitados para as classes mais altas. Apenas lordes e nobres eram autorizados a caçar veados, javalis, lebres e coelhos e esses alimentos foram, portanto, utilizados nas refeições diárias da nobreza. Os itens alimentares que vinham a partir do solo só eram considerados aptos para os pobres. Somente legumes, como couve, cebola e alho-poró enfeitava a mesa da nobreza. Um tipo de pão chamado manchet, um pão feito de farinha de trigo, era consumido pelas classes superiores. Alimentos eram bastantes condimentados. As caras especiarias consumidas pelos ricos incluíam: pimenta, canela, cravo, noz-moscada, gengibre, açafrão, cardamomo, coentro, alho, anis (erva-doce), cominho e mostarda. Então o dia-a-dia era composto por:

Café da manhã - O café da manhã da nobreza era ingerido entre 6 e 7 horas da manhã. Era como um lazer. Um senhor podia ter pão branco; três pratos de carne; três pratos de peixe (mais peixes em um dia santo) e  vinho ou cerveja para beber. O café da manhã podia ter mais de nove pratos, principalmente para evitar pessoas famintas no jantar.  Serviam-se muffins, biscoitos, geleias, conservas de carne e peixe, compotas, chás e ovos frescos, além de, frutas frescas e leite.

Jantar - era consumido entre 11 da manhã e 2 horas da tarde. Um senhor  normalmente tinha três pratos, mas cada prato poderia ter entre 4 - 6 pratos nele. Poderia haver carne e peixe servido com vinho e cerveja.

Ceia - era uma refeição com alimento substancial e bebida que era geralmente servido entre 6 -7 da noite e acompanhado por várias formas de entretimento. Seria muito semelhante ao jantar, mas com pratos um pouco mais incomuns, como torta de pombo, galinha d'angola e esturjão. Vinho e cerveja também seriam servidos.

 Portanto ao pesquisar em alguns sites, descobri que livros - muito deles que eu já li - faziam referencias as receitas abaixo, e aqui vai minha contribuição de como fazer algumas delas. E dado que achei interessante, decidi colocá-las aqui.

Em “La institutriz” de  Karen Ranney no capítulo 18 cita  as  “galletas de canela/ biscoitos de canela” 
Ingredientes
280 gramas de farinha com fermento.
150 gramas de manteiga.
100 gramas de açúcar,
1 ovo,
1 colher de sopa de rum, 1 c / c canela, o bicarbonato de sódio e 4 gramas de açúcar para polvilhar.
Preparação - Bata a manteiga, coloque em uma tigela a farinha peneirada com o fermento, adicione a manteiga, canela e açúcar, e começa a amassar com as mãos para misturar todos os ingredientes e, finalmente, adicione o ovo e continue misturando rum, mas também sem amassar.
Faça uma bola com a massa e deixe descansar na geladeira por uma hora.
Após este tempo, a massa de biscoito que se estende até uma espessura de meio centímetro. Corte-os da maneira que você quiser.
Polvilhe com açúcar, em seguida, esfrie.

"El amante de Lady Sophia" de Lisa Kleypas cita no capítulo 4 esta receita aqui “Kedgeree /Pescado com arroz ao curry/(pescado con arroz al curry)


Ingredientes
250 g de arroz longo
500 g de robalo, bacalhau ou salmão
50 g de manteiga
1 colher de sopa de pó de caril
1 pitada de pimenta caiena
4 ovos cozidos cortados.
2 colheres de sopa de salsa finamente

Preparação - Ferva o arroz al dente em água e sal. Cubra o peixe com água, deixe ferver por um momento, retire do fogo e deixe descansar por 10 minutos com a panela descoberta. Cortar em porções muito generosas e remover os espinhos. Reserve.
Derreta a manteiga, adicione o curry e pimenta caiena e frite por 1 minuto. Adicione o arroz e peixe, mexa e aqueça tudo por um minuto em fogo baixo. Adicione fatias de ovo e misture com cuidado. Decore com salsinha e sirva com torradas com manteiga.

Em "El caballero de la brillante armadura " Jude Deveraux citas esses pãezinhos rápidos no capítulo 3 os Scones de frutas y pasas (pão rápido com passas)


Ingredientes
2 xícaras de farinha (250g copo é de cerca de, neste caso, seria 500g de farinha xícara de leite)
2 colheres de sopa de fermento
1 ovo
100 gramas de manteiga
Açúcar 1 colher de sopa
Leite de 1 copo (250 ml)
Um pouco de sal
Anis/erva-doce
Geleia
Passas

Preparação - Misture a farinha, o fermento e o sal. Adicione a manteiga fria de preferência de "nata". Bata o ovo e misture com o leite. Faça um buraco no centro da mistura da farinha e despeje o ovo com leite e anis. Adicione a farinha começando no centro e prosseguindo no exterior. A massa deve ser macia e suave. Em seguida, amasse sobre uma mesa enfarinhada (e enfarinhe também as mãos) tomando cuidado para não abrir. Um rolo que se estende numa camada de 1 cm de espessura. Corte círculos de massa com um copo.
Coloque em uma forma enfarinhada e deixe cozinhar em forno pré-aquecido a 200 graus cerca de 15 minutos. Eles devem ficar dourados. Eles podem ser servidos com creme e geleia a gosto. Quando a massa estiver quase pronto as passas podem ser adicionadas.


"Um lugar para Conor" Laura Lee Guhrke retirei do capítulo 19 esta de Melocotones en almíbar /Pêssegos em calda


Ingredientes
1 1/2  quilo de pêssegos
2 litros de água
1 kg de açúcar
Preparação

Faça uma calda com água e açúcar, deixe ferver por 5 minutos; pêssegos descascados e cortados ao meio. Retire o caroço.
Coloque os pêssegos em frascos esterilizados e despejar sobre eles a calda quente, e depois tampar. Colocar essas garrafas em uma panela e cubra com água e deixe ferver por 20 minutos.
Em seguida, retire os frascos da panela e deixe esfriar.
Duram na prateleira aproximadamente dois anos, também podem ser armazenados na geladeira, se você prefere comê-los frios.
Um truque importante é colocar as metades de pêssegos na jarra deixá-los um buraco, isso serve para torná-lo uma boa cor na preparação e melhores pêssegos cores.
Outro truque é envolver as garrafas em papel pardo para que, quando colocado na panela e levado para ferver não colidam uns com os outros.
A razão é sempre cada 1 litro de água coloque 1/2 kg de açúcar.

Em "Cuando tú llegaste" de Lisa Kleypas, encontrei no capítulo 2 as Tortillas de fruta confitadas / Bolo de frutas cristalizadas


Ingredientes 
250 gr. De farinha
170 gr. de variadas frutas cristalizadas
125 gr. de manteiga.
150 gr. de açúcar
3 ovos
70 ml. leite
2 colheres de sopa de rum
1/2 de fermento em pó
Preparação - Trabalhar a manteiga amolecida com o açúcar até ficar cremosa esbranquiçada, adicione os ovos, um de cada vez (não adicione o seguinte até que o anterior esteja completamente batido), coloque o rum e leite.
Misture a farinha peneirada com o fermento e adicione aos poucos à massa, mexendo continuamente.
Pique as frutas em cubos pequenos, cerejas corte-os ao meio, enfarinhe-a um pouco e misture com a massa.
Untar com manteiga um forma para bolo de ameixa e enfarinhe. Encha com a preparação e asse em forno pré-aquecido a 210° durante 10 minutos, a temperatura inferior a 150 graus e deixar mais 45 minutos.
Esfrie o bolo porque deste modo pode ser separado das paredes dela. Decore com frutas cristalizadas.

Em "Una vez, un libertino/Uma vez, um libertino"  Rona Sharon cita esta torta no capítulo 28
Tarta de frambuesa/torta de Framboesa


Ingredientes
175 g de farinha de reabastecimento
100 g de amêndoas em pó
175 g de manteiga
30g de açúcar
1 ovo
1 ovo
½ colher de chá de canela em pó
½ colher de chá de cravo em pó
300 g de geleia de framboesa
2 dl de creme
1 pacote de açúcar cheiro de baunilha
Água
Preparação - Com um par de horas de antecedência, coloque a farinha em uma tigela, acrescente as amêndoas, açúcar e especiarias e misture bem. Faça um buraco no centro e incorpore o ovo, manteiga e duas colheres de sopa de água. Trabalhar com os dedos até obter uma mistura homogênea. Faça uma bola e deixe na geladeira. Depois de uma hora tire da geladeira.
Espalhe com manteiga uma forma de torta de 25 cm e vire o forno a 180 graus C.
Tome ¾ da massa e espalhe-o até que esteja ½ cm de espessura. Forre com a massa a forma deixando passar da borda 1 cm.
Estenda os restantes massa e corte em tiras de meio centímetro de largura. Distribua a geleia e colocando acima as tiras. Dobre a borda de 1 cm. Bata a gema de ovo com uma colherinha de sopa de açúcar e pincele a massa. Asse por 34-40 minutos.
Bata o creme com o açúcar e a baunilha.
** O tempo de cozimento pode variar entre 35-40 minutos.

Espero que apreciem algumas e bom apetite

Fontes:
www.rnovelromantica.com
http://www.historylearningsite.co.uk/medieval-england/food-and-drink-in-medieval-england/


Mary Balogh: Someone to Hold (Camille e Joel) Spoiler

Someone to Hold  (Alguém para Abraçar*) -  Mary Balogh My rating: 4 /5  Agora nos deparamos com história de Camille, a mais v...