domingo, 22 de março de 2015

Karen Moning uma nova autora em minhas leituras

Lendo autoras que me foram apresentadas recentemente. 
Karen Marie Moning - nasceu em Cincinnati, Ohio (EUA) é a autora best-seller  nº 1 do New York Times com romance  urbano de fantasia hot  FEVER(10 livros) que tem como protagonistas MacKayla Lane e Jericho Barrons, e é situado em Dublin,  e também escreveu romance paranormal a Série HIGHLANDER (8 livros), no total de quinze livros publicados em trinta e seis países. Foi vencedora do premio RITA(Romances dos Escritores da América), e indicada várias vezes também para ele. Ela se formou pela Universidade de Purdue com uma licenciatura em Sociedade e Direito. 
Não gosto de série longas, mas o primeiro que li dela e o quarto da série - O beijo do Highlander publicada pela Editora Saída de Emergência em 2001 eu gostei muito. 

O beijo do Highlander

Este livro me cativou, porque gosto de história de viagem no tempo e no qual uma cientista que se considera sem graça decide que tá na hora de perder seu status de moça virgem e decide ir para a Escócia, para as Highlands (As terras altas) e local místico e politicamente, essas Terras Altas caracterizavam-se até o século XVIII por um sistema feudal de famílias - os famosos clãs escoceses. As Highlands (“terras altas”, em inglês) são uma imensidão de bosques e montanhas sobre um planalto. As Highlands, é a mais mística e selvagem região da Escócia. Sem contar os aspectos culturais. Ricos em costumes e tradições centenárias, tais  como usar o kilt (a saia masculina) que deixam algumas ouriçadas e tocar a gaita de fole que é um instrumento  usado,  para executar música folclórica, seja em bandas de rock e até música eletrônica. A atração mais famosa de todas as Highlands é o Lago Ness (Loch Ness, em escocês). (fazendo minha liçãozinha de casa, rsrs).
Pois bem, nossa personagem Gwen Cassidy que descobre que na excursão da qual participa vai apenas idosos, destruindo seu sonhos de encontrar alguém a quem possa se entregar. Mas ao excursionar sozinha, eis que ela cai de cara num abismo e em cima de um enorme escocês adormecido. E logo em seguida desconfia que ele está meio tantã da cabeça, pois conta para ela que é do século passado e não entende como foi parar ali. A partir daí Gwen Cassidy e Drustan Mackeltar vão viver uma aventura sem igual com toques de humor que me fez rir demais. E para completar ele tem um irmão gêmeo tão maravilhoso quanto ele. Dose dupla de Escocês com Kilt e um fogo abrasador que algumas leitoras vão adorar. E haja risos.
Eu resolvi escolher uma música/vídeo que me pareceu caber na medida certa 
com o tema deste livro.  

Se quiser mais informações sobre a autora procure aqui: 



domingo, 15 de março de 2015

Minhas leituras mais recentes (2)

  Andei lendo livros YA, no bom e velho Português, dedicados a Adultos Jovens e, ultimamente me caíram nas mãos alguns e embora com relutância li uns que me surpreenderam bastante. Desde que eu li o YA: Eu, Christiane F. 13 Anos, Drogada e Prostituída,  um livro não me surpreendia tanto e me causou tanta comoção quanto Hopeless e Cante para eu dormir...
O primeiro que li nesse intervalo de tempo foi Cante para eu dormi - de Angela Morrison, logo de capa, adorei a frase:
 "O amor pode acompanhar seus pensamentos para sempre, como uma linda canção de amor, repleta de saudades."

  Compro livros pela capa, algumas me fascinam mesmo! Cheio de citações, o livro me levou até o mundo de Beth- que me lembrou bem Betty, a feia – pois bem, a garota era feia e carregava a estigma de ter sido abandonada pelo pai que disse uma única coisa quando ela nasceu. “Ela é muito feia, Tara. O que foi que você fez?” como se ele não tivesse contribuído com nada disso!
Então a nossa Beth, sofreu todos os tipos de bullying possível. Na escola, lhe pregavam trotes a torto e a direito. Mas, em meio a isso tudo, Beth tinha duas pessoas que a amavam verdadeiramente. A mãe e o fiel e dedicado amigo Scott, embora ela não ache que o mereça porque acha que ele merece alguém melhor que ela.
  Mas, Beth tem uma linda voz que impressiona a todos. E sua voz é tão especial que terá a oportunidade de concorrer a um concurso de solista na Suíça. Mas o que fazer com a aparência dela? A mãe de uma colega do coral resolve isso e transforma Beth em uma garota apresentável e assim ela parte para Suíça e lá conhece o solista principal do Coral Amabile. O Derek. Lá terão uma história intensa de amor, segredos e aventuras. Beth pela primeira vez vivia uma vida plena, quase livre. Então, eles se apaixonam, mas Derek guarda segredos que a fazem duvidar dele. Quer descobrir porque? Leia. Eu o recomendo, mas vá preparando seu espírito de leitor: use seus lenços e pense na maravilha de alguém cantando pra você dormir.

  Angela Morrison colocou a música de coral como ponto alto de um romance comovente que nos leva ao poder do amor, ao poder da canção que nos faz viajar e encontrar algo sublime dentro de nós e de como determinadas coisas aparentemente insignificantes, como a beleza externa, pode nos proporcionar muito mais do que pensamos. Às vezes a paz e o amor está no que somos e não no que aparentamos. E assim a autora nos oferece uma história linda, e o final, achei perfeito. E lhe lembro que foi uma bela homenagem da autora para Matt Quaife, o solista sênior do Amabile que viveu sua juventude inteira sofrendo de Fibrose Cística.

 “Muitas vezes, é preciso mentir para proteger quem amamos. Proteger de nós mesmos, do que escondemos, do que somos. Um ato covarde? Talvez. Todavia, um ato necessário.”


   O segundo livro que li foi Hopeless - Colleen Hoover, e penetrei num mundo que só em pensar me entristece, mas acho que funciona como um alerta para todos nós. Devemos tentar enxergar o que vai além das entrelinhas, enxergar o íntimo das pessoas e o que está por atrás de um inocente presente dado por alguém que amamos e em quem devemos confiar. Aqui você conhece a história de Sky e Dean. Sky foi criada pela mãe adotiva sem nenhum contato com realidade virtual. Pois é, nada de celular, computadores e nem mesmo TV. Eu me perguntei por que e achei que havia algo estranho nisso. Dito e feito. Sky tinha a mãe amorosa que tentava protegê-la de algo. Mas seu envolvimento com Dean, o garoto de quem se falava horrores e que tinha um passado a esconder vai trazer a tona tudo que há entre eles dois. Mas, o que eles tinham em comum? Uma infância, um amor, um esquecimento, uma morte, sofrimento e perdas pessoais que era grande demais em pessoas  tão jovens. Mais tirando os sofrimentos, a paixão que cresce entre os dois é linda.
   A autora me proporcionou momentos de intenso suspense, um certo receio de não querer avançar na leitura, por medo do que não queria e nem desejaria encontrar... Mais é um livro muito bom e bastante real, porque podemos encontrar nas páginas policiais muitas dessas histórias.  E um livro que todos deveriam ler e assim sabermos que nem tudo é o que parece. É uma comovente história que nos oferece a nobreza de sentimentos que algumas pessoas possuem. Mirem-se na mãe de Sky.

     “Nem todos consegue um felizes para sempre”




  O terceiro livro também de Colleen Hoover foi Ugly Love – onde Tate e Miles se encontram vivendo uma atração irresistível em que sabem que tudo poderá dar em nada, pelo menos da parte dele. Isso porque Miles não consegue se doar completamente pela culpa, pelo que perdeu e pelo que poderia ter sido e não foi. Com isso arrasta a Tate, numa relação sem passado e sem perguntas por que estes questionamentos pode destruir o resquício de amor, ou seja, lá o que ele sente por ela. Mas eles se esqueceram de algumas regras básicas: que quando os “corações se envolvem, as promessas se rompem, as regras se quebram e o amor se põe feio” ou não; pode ser que haja algo lá na frente desvie o curso dos sentimentos e dos acontecimentos. Basta esperar pra ver.

Este livro foi algo diferente do que tenho lido nos últimos meses. Narrado em primeira pessoa nas versões de Miles e Tate, isto deu  um toque diferente ao livro. Gostei e recomendo.
“O amor nem sempre é belo, Tate. Às vezes, você passa todo o seu tempo  esperando que ele será, eventualmente, algo diferente. Algo melhor. Então, antes que você se dê conta, você está de volta ao ponto de partida, e você perdeu seu coração em algum lugar pelo caminho.”






Recomendo: 


Mary Balogh: Someone to Hold (Camille e Joel) Spoiler

Someone to Hold  (Alguém para Abraçar*) -  Mary Balogh My rating: 4 /5  Agora nos deparamos com história de Camille, a mais v...