segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Eu com minhas leituras e Loretta Chase por ela mesma (1)



Caro leitor,
Se você quer saber um pouco sobre mim, continue a ler.
Eu fiz parte das escolas públicas New England. Nós diagramávamos frases. Nós éramos adestrados em ortografia e gramática. Este processo brutal provou ser útil mais tarde na vida. Acabou que tudo o que me ensinaram na escola - incluindo os problemas envolvendo as malditas expressões em matemática - foi útil mais tarde na vida. Pena que eu esqueci a maior parte.
Minha carreira na Universidade de Clark não foi curta. Depois de ganhar um B.A. (Bacharelado) em apenas dobro do tempo normal, trabalhei em escritório, no administrativo e em tempo parcial em postos de ensino. Tive outros empregos reais ao longo do caminho: trabalhos com joias e roupas varejistas, e uma experiência na Dickensian de seis meses como agente de trânsito.
Mas minha principal atividade na vida era escrever. É por isso que eu me formei em Inglês, em vez de algo útil que levaria a um trabalho real, com um salário real. Especialistas em inglês leem montanhas de livros e escrevem montes de papéis. Se ao menos eles me pagassem por ser um especialista em  Inglês, a minha vida teria sido perfeita.
Enquanto isso, se ninguém me queria ou não, eu escrevia peças, poesia, cartas, e, claro, o Grande Romance Americano. Esta última veio para sempre e - felizmente - permanece inacabada até hoje.
Mas ninguém nunca me pagou para escrever até depois da formatura de faculdade, quando comecei clandestinamente como uma roteirista de vídeo corporativo. Isto me levou ao fatídico encontro com um produtor de vídeo que me atraiu para escrever romances e, eventualmente, tornei-me a Sra. Chase.
Os livros resultantes dessa união ganharam um surpreendente número de prêmios, incluindo o de Rita - dos Escritores de Romance da América.
É quase um tão grande trabalho como sendo um especialista em Inglês.
Com os melhores cumprimentos,

Quando se fala em Loretta Chase vem logo a nossa cabeça seu romance de maior sucesso: Abandonada a tuas carícias. E quem não se emocionou com a hilária relação do notório marquês de Dain, Sebastian Ballister e da determinada jovem Jessica Trent? Para mim é um dos inesquecíveis... Este livro de enorme sucesso entre nós que amamos os canalhas dos livrinhos é o terceiro da série dos Patifes ou canalhas como queiram... Os outros anteriores a ele são: The Lion's Daughther ( não li)


Captives of the night (Cautivos de la noite) cujo obscuro personagem Esmond que foi traído e que nunca segue o que é certo, desconfia de todos e principalmente das mulheres. A protagonista Leila Beaumont, cheia de caráter superou seus próprios problemas. Foi enganada por um homem e se casou muito jovem. No entanto seu marido é um ser desprezível ao qual odeia. Esmond  trabalha para o governo e investiga o marido de Leila, e é capaz de tudo para conseguir o que deseja. Mas por ela estar envolvida, a atração que sente por ela dificulta seu trabalho. Aqui encontramos um pouco de tudo: intriga, seres desprezíveis, protagonistas de fortes convicções, crimes e relações homossexuais. Uma história diferente do que costumo ver nos seus livros.

The last hellion / Todo por un beso - Com diálogos mordazes, irônicos e inquisitivos, aqui encontramos igualmente um pouco do humor do marquês de Dain e de Jessica, mas desta vez a história ocorre com o amigo de Dain,  Ainswood e Lydia. E aqui também encontramos novamente, ulalá, eles (Dain e Jessica) e que tem um papel importante na trama. Apesar de aparentar indiferença a tudo que o rodeia, Vere não é tão sem sentimentos como mostra à primeira vista. Cansado de perder seus entes queridos, não deseja sofrer e foge de ligações que envolvem sentimentos e proximidades. Já Lydia é uma órfã pobre que sofreu e conseguiu vencer por si mesma e é uma jornalista e escritora que é a sensação de Londres (por debaixo do pano) que investiga cafetinas e quando impede que uma jovem se meta em encrencas se torna alvo destas pessoas... Acha que na sua vida não cabe um envolvimento com algum homem e menos um tão infame como Ainswood, e este ao encontrar Lydia tem que enfrentar seus demônios, dos  quais trata de afogar nas bebedeiras e com prostitutas.
A química entre eles é perfeita, risos, cenas engraçadas, alguns personagens secundários perfeitos dão o tom perfeito a ela e para completar um segredo de Lydia é revelado. 


La novia del conde loco - é último da série, e é uma história curta que trata de um casamento arranjado entre Dorian Camoys que se encontra às portas da morte e que precisa casar para deixar um herdeiro antes de morrer e uma mulher  atípica - Gwendolyn Adams, que tem um sonho de construir um hospital. Dorian Camoys sofre de uma enfermidade que lhe provoca dores de cabeça (igual a da mãe que morreu) e que pode enlouquecê-lo... Assim, ele retorna para Dartmoor para passar ali os últimos meses que lhe restam de vida. Gwendolyn Adams aceita esse casamento, pois sabe que como condessa viúva terá fortuna suficiente para construir seu maior desejo e também para para dedicar-se ao estudo da medicina. Ela sabe que com este tipo de comportamento e se saber tão pouco atrativa, terá poucas opções de se casar. Mas nada sucede de acordo com os planos estabelecidos; pois Dorian e Gwendolyn se apaixonam. Mas a doença dele se converte em um obstáculo que só a fé e o amor de Gwendolyn podem conseguir curá-lo.Sem muito melodrama, apesar do tema, é uma história muito romântica. Foi publicada numa antologia de três bodas e um beso (em espanhol) junto com Kathleen Woodwissi, Lisa Kleypas e Catherine Anderson.







Mary Balogh: Someone to Hold (Camille e Joel) Spoiler

Someone to Hold  (Alguém para Abraçar*) -  Mary Balogh My rating: 4 /5  Agora nos deparamos com história de Camille, a mais v...