sexta-feira, 21 de março de 2014

Parte das Entrevistas de Lisa Kleypas ao El rincón de la novela romántica


-De todos os eventos que podem levar o amor , talvez o beijo mais simples e tantas vezes , o mais sentido. Escrever o romances descrevendo a emoção contida em um beijo que é repetida mil vezes não perde a força para o leitor. Mas se tivesse que escolher um único beijo de todos aqueles que nos fizeram viver em suas obras o que você escolheria ? Por quê?

Oh, é uma pergunta difícil! Um beijo pode significar muitas coisas no contexto de uma cena ... os sentimentos que os personagens expressam nesse pequeno ato, torna-se tão espiritual quanto físico. ( E é sempre um pouco decepcionante quando um escritor de romances ignora o beijo e vai diretamente para os detalhes gráficos de relações sexuais). Eu acho que os beijos de despedida são provavelmente a mais românticos e profundos.

No meu trabalho, eu posso pensar  um par de casos em que o herói acredita que nunca mais verá a heroína, e que realmente aumenta os sentimentos do beijo. Por exemplo, há uma cena na metade de Sueños Contigo na qual Derek envia Sarah de volta para sua casa no campo, ele a recusa, porque considera indigno dela. Quando a resgata de um par de bandidos de rua e diz algo como "se você fosse minha, acabaria te machucando", mas a beija com amor e uma paixão frustrada porque ele a quer dolorosamente . Nas primeiras páginas da Sedução ao Amanhecer, há um confronto entre Merripen e Win porque ela está doente e deve partir por um tempo em uma clínica na França. Ambos esperaram anos, mas fragilidade física Win os manteve separado. Antes de Win partir ,  diz a Merripen "se eu fosse saudável nenhum poder sobre a terra poderia me afastar de você", e ela o força a admitir seus sentimentos por ela. Foi um beijo divertido de escrever!

- Qual é a novela mais romântica da todas que escreveu?
Provavelmente deveria deixar que meus leitores respondessem isso! Sem embargo, quando olho para trás, para os livros que me inspiraram mais romantismo enquanto os escrevia, um deles definitivamente foi Diabo no inverno. Havia algo no emparelhamento desses dois personagens, a tímida e gaga (mas forte por dentro) Evie, e o eloquente e o frio Sebastian, lord St. Vincent, que me parecia realmente elétrico, e seus diálogos pareciam escrever-se por si só. Meu editor no momento, que leu o resumo da novela, expressou suas dúvidas sobre o que estes dois personagens pudessem ter uma relação plausível. Pensava que St. Vincent poderia obscurecer Evie. Mas estava convencida de que funcionaria já que em minha vida conheci gente muito tímida com uma grande força interior. Como Eleanor Roosevelt disse uma vez; uma mulher é como um saquinho de chá – nunca sabes o forte que é até que o põe em água quente.
- Que pecado nunca poderia cometer um protagonista de Lisa Kleypas?
O que me vem imediatamente à cabeça é que um de meus heróis nunca bateria ou esbofetearia a uma mulher, ou qualquer pessoa que fosse mais vulnerável que ela. Além do que, porque às vezes as feridas verbais são mais daninhas que as físicas. Assim que posso dizer que meus heróis tem sempre um forte respeito subjacente pelas mulheres, e, por conseguinte, há certas palavras e ações que o herói nunca usaria contra a heroína. É uma questão de limite pessoal. Creio que este respeito mútuo converte a relação em sexy – permite aos dois personagens provocarem-se e desafiarem-se mutuamente de uma forma divertida, interessante e picante.
 Como é a mulher por trás da escritora Lisa Kleypas?
Em realidade sou uma pessoa reservada – meus amigos riem quando digo que sou tímida, mas em realidade o sou! Quero muito que as pessoas gostem de mim, por isso me preocupo com muitos aspectos para não defraudá-los. Tenho estado um tanto sumida e esquecida porque a maioria do tempo estou pensando em qualquer livro no que estou trabalhando. Isso significa que as pessoas que estão ao meu redor tem que ser muito paciente! Estou perdidamente enamorada de meu marido Greg, juntos tivemos um filho e uma filha, maravilhosos. Greg é um ecologista, pelo qual insiste em que compremos a comida em granjas orgânicas locais. Sou uma cozinheira muito boa, mas ela é um cozinheiro fantástico.
- Recorda qual foi a primeira novela romântica que leu?
Sim, foi A Chama e a Flor de Kathleen Woodiwiss. É um livro politicamente incorreto para os estandartes atuais, mas o que me cativou foi à ideia de que uma mulher jovem e idealista pode "domar" a um homem poderoso, e que esteja as ordens dela.
- Pensa que uma escritora mostra parte de sua alma em suas obras?
Na novela romântica indubitavelmente! Isso é o que faz uma novela inolvidável – a boa vontade do autor para aprofundar em suas emoções e crenças pessoais, e comparti-las com os leitores. Isso é por o que pode haver um vínculo tão forte entre a autora de novela romântica e seus leitores – é uma conexão emocional que inclui confiança mutua. Tenho que confiar a meus leitores meus pensamentos e sentimentos mais profundos, e eles têm que confiar em que eu lhes darei sempre meu melhor trabalho. Cada hora de nossas vidas é valiosa, e se alguém se passa parte de seu precioso tempo com uma novela que hei escrito quero que valha a pena.
- A paixão mais crua pode mostrar-se em uma cena hot, mas também pode manifestar-se em uma mirada, uma palavra, um suspiro, um silêncio... Donde está o momento mais apaixonado que recorda haver escrito?
Há uma cena no O diabo tem olhos azuis, uma de minhas novelas contemporâneas, que me pareceu muito impactante quando a escrevi. A heroína, Heaven Travis, se divorciou de seu marido porque a maltratava fisicamente, por isso fica muito nervosa com os homens. Nem sequer lhe agrada que um homem a toque, não importa que seja de maneira acidental. Mas nesta cena conhece a um homem que resulta ser um inimigo de sua família. Ele é forte, alto e musculoso – por isso não quer ter nada que tenha nada a ver com ela. Ela vai buscar um taxi debaixo a chuva e este homem a segue e lhe põe sua jaqueta sobre os ombros para resguardá-la da chuva. Esse gesto protetor, e a sensação da própria jaqueta, com o olor e o calor de seu corpo preso na roupa, criaram o que em minha opinião é um momento surpreendentemente íntimo. Sexy, mas também emotivo. Adoro cenas como essas – é uma pequena historia em si mesma, e cria expectativas para as cenas de amor que sucederam mais adiante.
- A paixão é a antessala do amor? O amor é o companheiro da loucura? Como é que é o amor para Lisa Kleypas?
Para mim o amor é o prelúdio da paixão... creio firmemente na paixão de dois seres que se atraem em um nível puramente físico....mas a paixão mais poderosa surge quando dos pessoas se conhecem e confiam o suficiente a uma na outra como para deixar de lado todas as inibições e a autoproteção. E o que faz durar o amor é a habilidade de duas pessoas de mudar e aprender em uma relação. Em muitos aspectos meu esposo e eu somos pessoas muito diferentes de quando nos casamos, e creio que é algo bom. Falamos, rimos e coqueteamos constantemente. Também discutimos, mas – para citar uma linha que escrevi em O diabo tem olhos azuis – "Ambos procuramos mantermos a uma prudente distancia das velhas cicatrizes do outro". Se ganhas a discussão, mas feristes gravemente ao teu companheiro ao fazê-lo, em realidade hás perdido.
- Desejarias adiantar algo sobre teus próximos projetos? Que novela está escrevendo nestes momentos? Que historias têm pensado escrever em um futuro próximo?
Minha próxima novela se titula "Rainshadow Road", forma parte de uma série de novela contemporânea ambientada em Ilhas San Juan, que são parte de um arquipélago situado frente a  costa do Estado de Washington, donde vivo. Esta ilha é exuberante e bonita, com prados, bosques, praias e o paisagens lindas do mar. A serie está baseada em três irmãos, os Nolan, que proveem de uma família problemática. Cada irmão terá que aprender a deixar para trás o passado para poder alcançar o amor e encontrar um novo começo. Em Rainshadow Road, uma artista do vidro, Lucy Marin, há sido traída por seu noivo, quem a há abandonado por su irmã mais jovem. Quando Lucy sente fortes emoções, fatos mágicos começam a suceder com vidro que ela há criado. Lucy tenta ocultar seu segredo de todo o mundo, inclusive Sam Nolan, que é o aposto dono de um vinhedo.
A novela na qual estou trabalhando atualmente é "Dream Lake" (O lago dos sonhos), na qual um jovem torturado e amargurado, Alex Nolan, está sendo perseguido por um fantasma. O fantasma não recorda quem é ou porquê está ali, e necessita a ajuda de Alex para encontrar as respostas. No processo, Alex começa, para seu pesar, a enamorar de Zoe Hoffman, uma bela e jovem chefe que tem uma conexão com o passado distante do fantasma.
- Há algum personagem secundário do que gostaria escrever sua historia e que está aguardando a que chegue seu momento?
Há vários em realidade. O personagem que tem mais probabilidade de que escreva logo sua própria historia é Joe Travis, que aparece tanto em O diabo tem olhos azuis, como em Boas Vibrações. Em um princípio no tinha intenção de escrever um livro para Joe, mas muitos leitores tem me perguntado sobre ele, assim que comecei a pensar seriamente no argumento de su novela.
Não queremos despedir nos sem voltar a agradecer-te profundamente que tenhas respondido a nossas perguntas, Lisa. Obrigada por permitir nos conhecer-te um pouco melhor. Há sido um prazer falar contigo. E por último, desejaria que dedicasse umas palavras a teus fãs que visitam nossa web?
Há sido um grande prazer para mim - Obrigado! Aos fãs que visitam tua página web quero expressar meu mais sincero agradecimento por todo seu apoio e amabilidade. É uma honra compartilhar meu trabalho, assim como meus pensamentos e emoções mais profundos com vocês, nunca daria por certo a nenhum de meus leitores. Com muito carinho, de minha parte, sempre.

************
Você alguma vez escreverá um livro sobre Joe Travis?
Planejei meus livros de Texas como uma trilogia, e fiquei surpreendida quando tantas pessoas se interessaram por Joe! Embora atualmente não tenha planos para escrever a sua história, eu não posso dizer que descarto-a no futuro.

O que você está trabalhando agora?
Eu estou trabalhando atualmente no primeiro de uma série contemporânea chamado de "Friday Harbor " situada em Ilha de San Juan, ao largo da costa de Washington.

Como escreve as cenas de amor de seus livros?
Bem, sim. Se  são bem feitas, são cruciais para demonstrar o desenvolvimento dos personagens e seus relacionamentos. Mas as cenas de sexo são as mais difíceis de escrever, porque tento não cair em clichês, e eu tenho que escolher as palavras com cuidado. Atualmente, existe uma espécie de necessidade de "coreografia" , então eu sei que tem que fazer tudo, mas ao mesmo tempo, aprendi que a cena é mais atraente quando sou menos gráfica nas descrições físicas.

Por que você começou a escrever romances de ficção sobre mulheres contemporâneas?
Depois de escrever históricos por um longo tempo, eu senti a necessidade de pressionar um pouco e me desafiar, e eu sabia que havia diferentes tipos de personagens e enredos que poderiam provar em ambientes contemporâneos. Foi um dos trabalhos mais gratificante que eu fiz , assim como o mais difícil. A parte mais difícil foi encontrar uma voz verdadeira, autêntica contemporânea e aprender a "traduzi isto" no meu estilo de escrita. Mas isso obrigou-me a expressar minhas emoções e pensamentos de uma maneira diferente, mais criativa. A surpresa foi descobrir o quanto tinha atualizado a minha escrita histórica quando voltei a ela!

Você gosta de escrever romances contemporâneos ou históricos?
De jeito nenhum eu posso escolher. Cada um é surpreendente em sua própria maneira. Eu acho que romances históricos são mais divertido de escrever, mas com contemporâneo, sou capaz de ser um pouco mais organizada, e isso tem sido bem sucedida em muitos campos.

Qual é a sua escrita normal do dia?
Meu dia típico começa às quatro horas. Levanto-me cedo para escrever enquanto  há calma, antes de meu marido e os meus filhos se levantam. Então, as sete, faço o café da manhã, preparo sanduíches, visto a todos, e às nove horas,  volto a trabalhar até as duas. Este é o momento em que meus filhos chegam, e eu posso estar com eles, ajudar com a lição de casa, etc . Tenho muita sorte de ser capaz de planejar o meu dia segundo a agenda! Pelo menos dois dias por semana, tento ficar para me exercitar com a minha amiga Christina Dodd. Ficar com ela e que seja minha companheira de exercício, é fundamental para mim, ou acabaria me jogando pela janela!

De onde você tira suas ideias?
Ideias e inspiração vem a mim de qualquer lugar. Às vezes, a música que eu estou ouvindo, às vezes aparecem quando estou assistindo a um filme ou lendo um livro ( eu gosto especialmente de biografias ) ... Eu mesmo uso minhas experiências e coisas que eu vi no noticiário. A cada livro que eu escrevo, tento me superar com uma situação que eu nunca tinha escrito antes, e é aí que eu tenho que usar todo o potencial da minha imaginação. Esta é a parte mais divertida do trabalho. A parte difícil é manter a mesma disciplina em toda a maratona que envolve a escrita de um romance.

Dos livros que você escreveu, qual é o seu herói favorito?
Ao longo dos anos tenho dado respostas diferentes para esta pergunta. Eu gosto de todos eles, por várias razões. Mas, para mim, há alguns que são fora do comum ... Derek Craven de Sueño Contigo é realmente especial, porque foi o meu primeiro herói, e abriu um novo rumo na minha carreira. Zachary Bronson de Where Dreams Begin (Onde os sonhos começam) ... Marcus, Lorde Westcliff (Aconteceu no Outono) ... A Sebastian St. Vincent de Demonio no Inverno ... e especialmente Leo, Lorde Ramsay Casados pela Manhã .

Você escolhe as capas de seus livros? Quanto você pode decidir sobre elas?
Meu editores, St. Martins Press, tem a decisão final sobre minhas capas, e são conhecidos pelo cuidado que coloca em cada livro. Escuta qualquer sugestão que faço e, em seguida, o departamento de arte faz sua mágica. Estou muito satisfeita com as capas de St. Martins .

Qual dos seus livros é o seu favorito?
Normalmente, meu livro favorito é o que eu estou escrevendo no momento ... mas "O diabo tem  olhos azuis" é provavelmente o meu favorito.

Fonte: http://www.rnovelaromantica.com/ em  10 de novembro de 2011.



Epilogo: A Lenda dos Quatro soldados - Jasper e Melisande

A Lenda dos Quatro soldados
Epílogo: Jasper e Melisande

Abril - 1766

A dor tomou conta dela, forte e implacável, apertando-a como um punho gigante. Melisande fechou os olhos, e permaneceu manejando isto, mesmo quando a contração se aprofundou, até que de repente se foi.
Ela exalou, ao mesmo tempo em que o homem ao seu lado.
Melisande abriu os olhos e se encontrou com um preocupado olhar turquesa.
– Talvez seja a hora de você ir, meu senhor –, a parteira aconselhou hesitante.

Os olhos de Jasper nunca a abandonaram. Ele sorriu com facilidade, embora ele estivesse tão pálido que o verde tingido as bordas de seu rosto. – E perder a aspecto do próximo Visconde Vale? Acho que não. –
Ele insistiu em ficar com ela, mesmo que ele estivesse claramente sofrendo com cada dor do parto que a sacudia. Melisande sentiu uma onda de amor inundando-a, trazendo a picada de lágrimas aos seus olhos. E depois outra dor do parto a apanhou, afugentando seus pensamentos.
Quando conseguiu falar novamente, ela abriu os olhos, olhando para o rosto preocupado de Jasper. – Se for uma menina, eu gostaria que você a chamasse de Emeline. 
–Bobagem –, ele repreendeu suavemente, seu lábio superior brilhando de suor. – O nome da minha tia-avó foi Aethelflaed e eu acho que faria um nome extraordinariamente esplêndido para uma menina. –
Melisande fechou os olhos enquanto outra dor a golpeou. Ela estava em trabalho de parto há um dia e uma noite e ela sentia suas forças abandonando-a com cada onda de agonia. Jasper estivera provocando-a com nomes horríveis do bebê durante todo seu confinamento, mas ele tinha que perceber que ela estava falando sério agora.

– Meu amor –, ela começou como ela abriu os olhos. – O nome de uma menina é muito importante, –.
Ele colocou um dedo suave em seus lábios. –Então nós vamos ter que debater o assunto - juntos - uma vez que o bebê nascer. 
Desespero apertou-lhe o coração. –Jasper –.
–Minha senhora esposa. – Ele colocou sua testa contra a dela. –Você é a mulher mais forte que eu conheço. Meu coração bate dentro do seu peito, tão certo como o seu próprio. Guarde esses corações e mantenha-os seguros, para o nosso bem –.

E então uma onda de dor percorreu-a tão fortemente, sua parte superior do corpo arqueado para fora da cama. O corpo dela contraiu e ela agarrou a mão de Jasper enquanto lutava para empurrar o pequeno invasor de seu corpo. Vagamente, ela ouviu a parteira murmurando palavras encorajadoras, mas toda a sua concentração toda a sua alma estava inclinada na presente tarefa monumental.
Quando o bebê escorregou de seu corpo todo de uma vez, ela sentiu uma onda de gratidão e euforia. Um grito delicado encheu a sala. De repente, viu-se ofegante de tanto rir.
Ela abriu os olhos e encontrou o olhar turquesa fabulosamente brilhante de Jasper.
– Meu amor, minha esposa, você fez isso, – ele sussurrou.
– Uma menina, meu senhor –, disse a parteira, passando uma trouxa para ele.
Jasper pegou o bebê sem jeito. –De fato, assim é. 
Ele olhou para baixo, para o bebê como se inspecionasse uma forma de vida nova e estranha, antes de beijá-la com ternura na testa. Ele colocou o bebê nos braços de Melisande.
– Oh, me ajude –, disse Melisande.

Ela se esforçou para sentar-se com a ajuda de Jasper e então olhou para seu bebê. Ela era uma coisinha enrugada vermelha, com algumas mechas úmidas de cabelo escuro grudada na sua cabeça. Melisande passou a mão sobre as orelhas e o pescoço, examinou cada dedo minúsculo, e viu como os olhos azuis da meia-noite abriram-se. Este era o seu filho - dela e de Jasper e o amor brotou dentro de seu peito, novo e avassalador.
O bebê chorou.
Melisande abriu a camisola e colocou a menina para seu peito.
– Oh, minha senhora –, disse a parteira com um toque de desaprovação. – A ama de leite aguarda apenas na outra sala. 
– Deixe-a esperar –, Jasper respondeu, sem tirar os olhos do bebê.
Melisande sorriu para ele, amando a proteção paterna em seu tom.
Passou-se mais uma hora ou assim antes que tudo fosse limpo após o nascimento . Quando a parteira e as servas finalmente saíram, Melisande sentiu a cama afundar como seu marido se arrastou cansado ao lado dela.
Ela olhou para cima, surpresa. –Eu pensei que você ia dormir no seu catre hoje à noite? – Eles mudaram a seu grande catre com tudo que era almofadas e capas para a próxima sala, em preparação para o nascimento do bebê. Isto estava no aposento de espera da viscondessa, e quase nunca usado.
– Onde você está é a minha casa, minha senhora esposa. – Jasper bocejou. – Além disso, eu acho que eu poderia dormir em uma cama de espinhos no momento. 
Melisande sorriu, olhando para o bebê dormindo em seus braços. –Ela é o bebê mais lindo do mundo, não é? –
–Sim–, disse que seu marido simplesmente. Ele se inclinou sobre seu ombro, olhando o bebê também. –Tem certeza que você não está interessado depois em dar-lhe o nome minha bisavó Dionysia Pernel? –
–Você está fazendo isso! Ninguém olharia para um pequeno bebê e chamando-a de Dionísia Pernel –.
–Obviamente que nunca conheceu meu tatara-tatara-avô Dionysus Pernel –.
Melisande deu-lhe uma olhada.
– Ah, tudo bem –, disse ele confortavelmente. – Emeline, então?
Melisande assentiu, sentindo felicidade inchar em seu peito.
– Ah, bom. –, Disse Jasper, sufocando outro enorme bocejo. Deitou-se, puxando-a de volta contra o seu peito, encaixando suas nádegas na curva de seu corpo. Ele beijou a bochecha de Melisande antes envolver um braço sobre sua cintura e colocando uma mão protetora sobre a Emeline dormindo.

E, em seguida, a nova família dormia.

As regras não escritas para os Heróis de romance - na visão de Elizabeth Hoyt

   
Gentil leitor,

Tenho notado ao longo dos anos que parece haver regras não escritas para o herói Romântico. Regras que todos os heróis de romance parecem conhecer e seguir inconscientemente. Todos os heróis de romance, ou seja, salvar o meu, Edward de Raaf, o Conde de Swartingham e o herói de O Príncipe Corvo. Infelizmente, Edward aparentemente nunca recebeu o livro de romance Regra de Herói, possivelmente devido à incerteza do sistema postal na Inglaterra georgiana. Abaixo, eu listei algumas das regras e, bem, a resposta do próprio Edward.

1. Os heróis são sempre bonitos.
Edward: (fungando) Bem, isso é simplesmente ridículo. Quem quer ler sobre rapazes e almofadinhas bonitos, eu lhe pergunto? Uma cicatriz aqui e ali, dá uma certa seriedade ao semblante de um cavalheiro.

2. Heróis nunca caem de seus cavalos.
Edward: Difamação, Companheiro! Eu nunca caí de meu cavalo e nos encontraremos no campo de honra qualquer um que ouse dizer isso. É verdade que, em certas ocasiões, fui destituído, mas isso pode acontecer a qualquer cavalheiro e é um assunto completamente diferente.

3. E se eles caem de seu cavalo, eles não xingam.
Edward: Eu não estava xingando. Eu simplesmente chamei a besta de um nódulo revoltante que esconde comida de vermes, e - siga o meu raciocínio de perto aqui - o cavalo não sabia o que eu estava dizendo.

4. Os heróis não começam brigas em bordéis.
Edward: Eu realmente não começo brigas. Além disso, o que você quer que eu faça quando fui atacado por quatro homens? Nota: eu acabei com a briga.

5. Os heróis não têm problemas para manter seus secretários.
Edward: Eu não sei onde você está querendo chegar. . .

6. Heróis sempre mantêm a calma.
Edward: eu não tenho um temperamento e quem diz isso - (censurado)

7. Heróis não fantasiam sobre  seios de suas secretárias.
Edward: Que tipo de romances piegas que estamos falando aqui? Eu deveria pensar -

8. Heróis são românticos.
Edward: Ha! HA! Peguei você aqui! Eu farei você saber que Anna não encontrou absolutamente nenhuma falha com o meu amor. Na verdade -

9. Os heróis não confundem romance com o ato sexual.
Edward: (censurado)

10. Os heróis são levados por um amor verdadeiro.
Edward: Contra o que eu não tenho nenhum argumento.

Sua sinceramente,


sábado, 8 de março de 2014


Instagram

Mary Balogh: Someone to Hold (Camille e Joel) Spoiler

Someone to Hold  (Alguém para Abraçar*) -  Mary Balogh My rating: 4 /5  Agora nos deparamos com história de Camille, a mais v...